BNP Paribas Cardif Brasil
 

BNP Paribas Cardif do Brasil tem alta de 72% no lucro do primeiro semestre

São Paulo - 09/04/2012

 


  •     O resultado antes dos impostos foi de R$ 81,4 milhões, superando os R$ 47,3 milhões de 2011; 
  •     No período, o faturamento da organização alcançou R$ 487,9 milhões, avanço de 15% em relação a 2011, quando registrou R$ 424,2 milhões;
  •     O setor de varejo foi o destaque das operações, principalmente com garantia estendida;

 


São Paulo, setembro de 2012 – Apesar de o mercado brasileiro estar menos aquecido em 2012, a BNP Paribas Cardif do Brasil, subsidiária do BNP Paribas Cardif, braço segurador do BNP Paribas, superou o resultado do primeiro semestre do ano anterior. O lucro da organização antes dos impostos alcançou R$ 81,4 milhões, número que representa um crescimento de 72% sobre o mesmo período de 2011, quando chegou a R$ 47,3 milhões.

 

O saldo é relativo às quatro empresas pertencentes à BNP Paribas Cardif do Brasil: Cardif Vida alcançou lucro de R$ 59,2 milhões; Cardif Garantias R$ 4,8 milhões; Luizaseg – joint venture com a rede varejista Magazine Luiza – R$ 17,4 milhões; e Cardif Capitalização, cujo resultado está consolidado em Cardif Vida, R$ 1,5 milhões.

 

Segundo o presidente da companhia, Adriano Romano, os números dos seis primeiros meses revelam um crescimento consistente da empresa e resulta das estratégias assertivas de diversificação de produtos e capacidade de distribuição. “A economia está menos pujante, principalmente se compararmos com 2011, que foi muito intenso em relação ao consumo, com altos níveis de concessão de crédito. O financiamento de automóveis foi o que mais cresceu no ano passado e isso fez disparar nossos negócios. Contudo, a taxa de inadimplência começou a subir e, como consequência, o crédito ficou mais restrito nos primeiros meses de 2012, o que freou o consumo. Como nossas operações estão atreladas a esses fatores, sobretudo à dinâmica do consumo, fomos impactados por essa contração. Mas mesmo neste cenário, o comportamento da companhia nos primeiros seis meses de 2012 foi excelente”, explica.

 

O faturamento da companhia também superou o resultado obtido no primeiro semestre do ano anterior. Até junho de 2012 a BNP Paribas Cardif do Brasil alcançou R$ 487,9 milhões, avanço de 15% em relação a 2011, quando registrou R$ 424,2 milhões. Novamente, o resultado reflete o comportamento das quatro empresas: Cardif Vida faturou R$ 297,9 milhões; Cardif Garantias chegou a R$ 102,4 milhões; Luizaseg obteve R$ 87,6 milhões; e Cardif Capitalização atingiu R$ 24 milhões, resultado já consolidado em Cardif Vida.

 

Canais e produtos

 

De acordo com Romano, o destaque do semestre ficou com o setor de varejo. Assim, nos três canais de atuação da companhia, o Varejo concentrou 45% das operações; Automóveis vem em seguida, com 35% dos negócios; e, por fim, Bancos e Financeiras, segmento que correspondeu a 20% do total.

 

Na divisão por produtos, a garantia estendida registrou o crescimento mais forte. Atualmente, o seguro corresponde a 25% de todas as vendas da BNP Paribas Cardif do Brasil e sua força no primeiro semestre derivou exatamente da facilidade de se atrelar ao modelo varejista. “É um seguro de grande adesão, vendido em conjunto com os principais produtos comercializados pelo varejo, como eletrodomésticos, celulares e eletroeletrônicos. Como o consumo destas linhas permanece muito bom, a garantia estendida ficou acima da média no período, em diversas regiões brasileiras, sobretudo no nordeste”, diz o executivo.

 

O segundo lugar ficou com os títulos de capitalização, responsáveis por 7% dos produtos comercializados pela companhia. “A Cardif Capitalização é nossa empresa mais nova e vem crescendo muito bem. Foi inaugurada em 2010 e hoje é responsável por fatia expressiva da nossa receita”, afirma o presidente da organização.

 

Segundo Romano, a capitalização possui ainda um espaço grande a ser explorado, principalmente porque é muito bem aceita pelos clientes. “Por exemplo, um seguro de vida atrelado a um título de capitalização vai vender muito mais do que um sem o benefício. Por isso, estamos inserindo os títulos em todos os nossos produtos”, completa.

 

Por fim, merece destaque o seguro de proteção financeira. Apesar de corresponder a 50% de todos os produtos vendidos pela companhia, em termos de crescimento ficou em terceiro lugar nos primeiros seis meses do ano. “É o seguro mais comercializado pela BNP Paribas Cardif do Brasil, por isso mesmo sua base de comparação é muito alta, o que dificulta porcentagens de crescimento mais robustas como as dos outros dois produtos”.

 

Market share exclusivo

 

Segundo dados da Superintendência de Seguros Privados (SUSEP), o segmento fechou o semestre com avanço de 12,5% em relação ao ano anterior, excluindo VGBL e Previdência. Para o presidente da BNP Paribas Cardif do Brasil, o desempenho da companhia acima do mercado se deve à sua forma distinta de atuar. Especialista na distribuição de produtos massificados, a companhia consegue chegar até os consumidores que não têm contato com seguros. Neste sentido, o executivo destaca a atuação por meio dos seus parceiros; o trabalho em conjunto com os corretores; e as novas tecnologias e parcerias de e-commerce.

 

“Nosso enfoque é em mercados não atendidos e esse é o principal motor da organização. A capacidade de distribuir, não apenas de vender, é o cerne do nosso negócio. Para comercializar o seguro massificado temos de saber exatamente como coloca-lo em contato com o consumidor. E esta é uma das nossas principais expertises”, avalia. “Assim, não disputamos nosso cliente com o mercado de seguros tradicionais: a partir do momento que criamos condições para nos aproximar do público que não é contemplado, criamos nosso próprio market share”, conclui.


*Fonte: Levantamento interno da BNP Paribas Cardif, com base nos prémios brutos emitidos em 31 de Dezembro 2010, publicados nos anuários corporativos dos concorrentes.


Faça o download do comunicado de imprensa (PDF - 227.2 Ko)